Obras Raras

 

COLEÇÃO “BIBLIOTECA DAS MOÇAS”

Sobre a Coleção: Esta Coleção reúne livros de autores estrangeiros - franceses e ingleses em sua maioria - traduzidos e publicados pela Companhia Editora Nacional, entre as décadas de 1920 a 1960, e de larga difusão entre as jovens da classe média no Brasil. Na década de 1980, a Coleção é relançada com uma pequena alteração no seu aspecto gráfico, e nesse período foi muito lida notadamente pelas operárias paulistas. Herdeiros do romance-folhetim francês da terceira fase, esta literatura, também chamada de “literatura cor-de-rosa”, apresenta enredos de estrutura bem definida: estórias leves, lineares, em geral “dramas de amor” que levavam o leitor a um dilúvio de lágrimas. É a literatura “água-com-açúcar”, calma, lacrimejante, que traz de volta o romantismo exagerado desativado pelo naturalismo - o amor idealizado, a fuga da realidade e a instrução moral. São estórias de amores proibidos pela divisão de castas, mas com final feliz (um eco da moral dos contos de fadas) de união para os amantes; enredos em que o orgulho e as diferenças sociais são relegados em nome da felicidade, do amor e da amizade. É o time de escrita de M. Delly (pseudônimo de um casal de irmãos franceses, católicos fervorosos – Frédéric Henri e Jeanne Marie Henriette Petitjean de la Rosiére), do romance bem-comportado, onde a honra, a virtude e o bem saem sempre vencedores em nome do “verdadeiro” amor. Neles, só havia lugar para o perdão, para a piedade e para a bondade. Composta de romances sentimentais, esta Coleção educou, seduziu e fez nossas senhoras e senhoritas sonharem. Foi impressa no pequeno formato de 12 x 18 cm.

                    Entre os títulos dessa Coleção possuímos em nosso acervo:

ARDEL, Henry. Os dois amores. Tradução de Regina Régis. 2.ed. São Paulo: Companhia Editora Nacional, 1957. (Biblioteca das Moças) v.162

 

ARDEL, Henry. Longe dos olhos... Tradução de Myrian de Castro. São Paulo: Companhia Editora Nacional, 1957. (Biblioteca das Moças) v.169

 

BRAME, Charlotte M. Sacrificada. Tradução de Lygia J. Smith. São Paulo: Companhia Editora Nacional, 1955. (Biblioteca das Moças) v.83

 

BRAME, Charlotte M. Louco amor (2º v.). Tradução revista por Luís Amaral. 3. ed. São Paulo: Companhia Editora Nacional, 1957. (Biblioteca das Moças) v.2

 

CHANTEPLEURE, Guy de. Beijo ao luar. São Paulo: Companhia Editora Nacional, 1948. (Biblioteca das Moças) v.13

 

CHRISTIE, May. Luana (1º v.). Tradução revista por Ricardo S. de Almeida. São Paulo: Companhia Editora Nacional, 1956. (Biblioteca das Moças) v.85

 

D’HOUVILLE, Gérard. Renúncia ao amor. Tradução de Olga Laino. São Paulo: Companhia Editora Nacional, 1957. (Biblioteca das Moças) v.163

 

DELLY, M. A vingança de Ralph. Tradução de Lila Carvalho. São Paulo: Companhia Editora Nacional, 1947. (Biblioteca das Moças) v.131

 

DELLY, M. O rei de Kidji. São Paulo: Companhia Editora Nacional, 1948. (Biblioteca das Moças) v.40

 

DELLY, M. A casa dos rouxinóis. Tradução de Léia Ribeiro de Alencar. São Paulo: Companhia Editora Nacional, 1948. (Biblioteca das Moças) v.130

 

DELLY, M. Freirinha Tradução de Ernani R. de Lima. São Paulo: Companhia Editora Nacional, 1950. (Biblioteca das Moças) v.61

 

DELLY, M. Foi o destino.... Tradução de A.Bernard. São Paulo: Companhia Editora Nacional, 1950. (Biblioteca das Moças) v.73

 

DELLY, M. Vencido! Tradução de Sarah Pinto de Almeida. São Paulo: Companhia Editora Nacional, 1954. (Biblioteca das Moças) v.60

 

DELLY, M. Entre duas almas. Tradução de Sarah Pinto de Almeida. São Paulo: Companhia Editora Nacional, 1956. (Biblioteca das Moças) v.48

 

DELLY, M. Mitsi. Tradução de Zara Pongetti. São Paulo: Companhia Editora Nacional, 1956. (Biblioteca das Moças) v.158

DELLY, M. Mitsi. Tradução de Zara Pongetti. 4. ed. São Paulo: Companhia Editora Nacional, 1987. (Biblioteca das Moças) v.158

 

DELLY, M. O fim de uma Walkyria. Tradução revista por R.C.Carviglione. 10. ed. São Paulo: Companhia Editora Nacional, 1958. (Biblioteca das Moças) v.42

 

DELLY, M. Alma em flor. Tradução de Paulo de Freitas. 4.ed. São Paulo: Companhia Editora Nacional, 1958. (Biblioteca das Moças) v.70

 

DELLY, M. Marísia. Tradução de Lígia Estrada. 2. ed. São Paulo: Companhia Editora Nacional, 1959. (Biblioteca das Moças) v.146

 

DELLY, M. Elza. Tradução de Eugênia de Melo. 2.ed. São Paulo: Companhia Editora Nacional, 1959. (Biblioteca das Moças) v.151


DELLY, M. Magali. Tradução revista por Epaminondas de Albuquerque. 10. ed. São Paulo: Companhia Editora Nacional, 1960. (Biblioteca das Moças) v.52

DELLY, M. Magali. Tradução revista por Epaminondas de Albuquerque. 11. ed. São Paulo: Companhia Editora Nacional, 1983. (Biblioteca das Moças) v.52

 

DELLY, M. Ondina. Tradução de Lígia Estrada. 3. ed. São Paulo: Companhia Editora Nacional, 1985. (Biblioteca das Moças) v.149

 

DELLY, M. No silêncio da noite. Tradução de Tito Marcondes. 6. ed. São Paulo: Companhia Editora Nacional, 1986. (Biblioteca das Moças) v.86

 

DELLY, M. O sentimento do amor. Tradução revista por Wanda de Aguiar. 3. ed. São Paulo: Companhia Editora Nacional, 1987. (Biblioteca das Moças) v.157

 

FOLEY, Charles. O segredo do noivado. Tradução de A.Bernard. São Paulo: Companhia Editora Nacional, 1956. (Biblioteca das Moças) v.82 

 

GLYN, Elinor. Tudo se paga. Tradução de Manuel Bandeira. São Paulo: Companhia Editora Nacional, 1956. (Biblioteca das Moças) v.143

 

GLYN, Elinor. O “it”. Tradução de Godofredo Rangel. 6.ed. São Paulo: Companhia Editora Nacional, 1960. (Biblioteca das Moças) v.78

 

MERREL, Concordia. O homem sem piedade. Tradução de Mario Sette. São Paulo: Companhia Editora Nacional, 1955 (Biblioteca das Moças) v.41

MERREL, Concordia. O homem sem piedade. Tradução de Mario Sette. 6. ed. São Paulo: Companhia Editora Nacional, 1960 (Biblioteca das Moças) v.41

 

MERREL, Concordia. O selvagem. Tradução de Waldemar Cavalcanti. 6. ed. São Paulo: Companhia Editora Nacional, 1986 (Biblioteca das Moças) v.91

 

MERREL, Concordia. A maltrapilha. Tradução revista por Jairo Augusto Miranda. 8.ed. São Paulo: Companhia Editora Nacional, 1989 (Biblioteca das Moças) v.62

 

SANDYS, Oliver. A caravana verde. Tradução de Edgard Monteiro Lobato. São Paulo: Companhia Editora Nacional, 1955. (Biblioteca das Moças) v.32

 

RUCK, Berta. Noiva oficial. Tradução de Cintra Vidal. São Paulo: Companhia Editora Nacional, 1958. (Biblioteca das Moças) v.170

 

RUCK, Berta. Romance na ribalta. Tradução de Olga Laino. São Paulo: Companhia Editora Nacional, 1960. (Biblioteca das Moças) v.173

 

RUCK, Berta. O grande dilema. Tradução de Olga Laino. São Paulo: Companhia Editora Nacional, 1960. (Biblioteca das Moças) v.174

 

 "COLEÇÃO DAS MOÇAS"

                    Entre os títulos dessa Coleção possuímos em nosso acervo:

COULOMB, Jeanne de. A taça de ouro. Tradução de Yvonne Walkyria. Rio de Janeiro: Livraria Editora Marisa, 1931. (Coleção das Moças)

 

"COLEÇÃO ROSA"

                    Entre os títulos dessa Coleção possuímos em nosso acervo:

DELLY, M. Deus dispõe. Rio de Janeiro: Gráfica Editora Aurora Ltda, [s.d.] (Coleção Rosa)

 

COLEÇÃO “BIBLIOTECA DAS FAMÍLIAS”

Sobre a Coleção: Essa Coleção teve origem em Portugal na década de 1920. Foi constituída basicamente de romances editados originalmente na França com incentivo da Igreja Católica, que em Porto/Portugal traziam o selo da Casa Editora de A.Figueirinhas (depois Livraria Figueirinhas). Muitos dos romances dessa Coleção - como os de M.Delly - compuseram posteriormente no Brasil a Coleção “Biblioteca das Moças”, de responsabilidade da Companhia Editora Nacional. Também conhecidos como “romances honestos” essa literatura priorizava lições da moral cristã para o modelamento da alma e do caráter de seus leitores, com destaque para o triunfo do Bem sobre o Mal, e do Amor. As obras desta Coleção, impressas no pequeno formato de 12 x 19 cm, eram imprescindíveis nas bibliotecas das Escolas Normais, ou nos estabelecimentos de ensino mantidos pela Igreja Católica.

                    Entre os títulos dessa Coleção possuímos em nosso acervo:

DELLY, M. A pomba do castelo. Tradução de Sousa Martins. Portugal/Porto: Casa Editora de A. Figueirinhas, 1927. (Biblioteca das Famílias)

 

DELLY, M. O rei dos Andes. Tradução de Germano de Campos Monteiro. Portugal/Porto: Livraria Figueirinhas, 1952. (Biblioteca das Famílias)  

 

DELLY, M. Almas torturadas. Tradução de Sousa Martins. Portugal/Porto: Livraria Figueirinhas, 1953. (Biblioteca das Famílias)  

 

DELLY, M. A hipócrita. 4.ed. Portugal/Porto: Livraria Figueirinhas, [s.d.]. (Biblioteca das Famílias)  

 

DELLY, M. Flor do lar. Tradução de Sousa Martins. Portugal/Porto: Livraria Figueirinhas, [s.d.]. (Biblioteca das Famílias)  

 

MARYAN, M. O erro de Isabel. Tradução de Manuel de Melo. Portugal/Porto: Casa Editora de A. Figueirinhas, 1926. (Biblioteca das Famílias) 

 

OLIVIERO, L. Um homem superior. Tradução de Neves Ferreira. Portugal/Porto: Casa Editora de A. Figueirinhas, 1932. (Biblioteca das Famílias)

 

"COLEÇÃO DELLY"

Sobre a Coleção: Com direitos de tradução e reprodução reservados em língua portuguesa (Portugal e Brasil), a Editora Livraria Progredior, de Porto, em Portugal, fez circular na década de 1950, os romances de Delly (no Brasil mais conhecida como M.Delly – pseudônimo de Frédéric Henri e Jeanne Marie Henriette Petitjean de la Rosiére, um casal de irmãos franceses, e católicos fervorosos). As obras de Delly ou M. Delly cujo conteúdo acha-se citado acima no Quadro da Coleção “Biblioteca das Moças” e “Biblioteca das Famílias”, não traziam questionamentos ou ambições culturais, mas pretendiam entretenimento e contribuiram largamente para a formação de leitoras no Brasil. Sua larga aceitação deveu-se a  sua estrutura que se define por uma literatura romântica, fácil e agradável. Manuel de Melo, professor e tradutor da 7. ed. do romance “Uma mulher sedutora” que abre a “Coleção Delly” gravou no Prefácio a seguinte mensagem as leitoras, e que serve de epíteto do teor ideológico desse conjunto de obras: “Nunca traduzi obra que mais me emocionasse pela ternura, pelo encanto e pelo espírito de sacrifício, do que este romance de Delly./”Uma mulher sedutora” é uma obra de envergadura moral que se impõe, não só pelo ponto de vista educativo, dentro do mais puro cristianismo, mas pela técnica maleável e profundamente sugestiva que nos prende e nos encaminha docemente para um ideal luminoso e sublime, a que podem abrir-se livremente todas as almas sinceras./O ideal do Bem, o ideal da verdade cristã, está maravilhosamente sintetizado nessa figura simbólica de Liana – a mulher sedutora –, a mulher que deve ser o traslado de todas as mulheres./Caráter límpido, alma forte, coração generoso, sem uma sinuosidade, sem um deslize, sem uma hesitação – tal estrutura firme dessa mulher – que, com Nataniel – a lisura e a bondade extremas –, constituiu o mais perfeito dualismo de sentimentos.” Os livros desta Coleção foram comercializados no pequeno formato de 13 x 19 cm.

                    Entre os títulos dessa Coleção possuímos em nosso acervo:

DELLY. Uma mulher sedutora. Tradução de Manuel de Melo. 7.ed. Portugal/Porto: Editora Livraria Progredior, 1951. (Coleção Delly) v.1  

 

DELLY. Sinfonia da vida. Tradução de Humberto A. Santos. Portugal/Porto: Editora Livraria Progredior, 1951. (Coleção Delly) v.39

 

DELLY. Um sonho de cinderela. Tradução de Humberto A. Santos. Portugal/Porto: Editora Livraria Progredior, 1952. (Coleção Delly) v.40

 

DELLY. Tentação irresistível – I. Tradução de Humberto A. Santos. Portugal/Porto: Editora Livraria Progredior, 1952. (Coleção Delly) v.41

 

DELLY. O herdeiro dos Duques de Sailles. Tradução de Humberto A. Santos. Portugal/Porto: Editora Livraria Progredior, 1953. (Coleção Delly) v.44

 

DELLY. A herança da gata borralheira. Tradução de Humberto A. Santos. Portugal/Porto: Editora Livraria Progredior, 1953. (Coleção Delly) v.45

 

DELLY. A criança abandonada – I. Tradução de Humberto A. Santos. Portugal/Porto: Editora Livraria Progredior, 1953. (Coleção Delly) v.46

 

DELLY. O príncipe misterioso – II. Tradução de Humberto A. Santos. Portugal/Porto: Editora Livraria Progredior, 1953. (Coleção Delly) v.47

 

DELLY. O deus Hindu – III. Tradução de Humberto A. Santos. Portugal/Porto: Editora Livraria Progredior, 1953. (Coleção Delly) v.48

 

DELLY. A dama de fogo – IV. Tradução de Humberto A. Santos. Portugal/Porto: Editora Livraria Progredior, 1953. (Coleção Delly) v.49

 

DELLY. Acidente providencial. Tradução de Isaura Correia Santos. Portugal/Porto: Editora Livraria Progredior, 1955. (Coleção Delly) v.50

 

DELLY. Ardil estranho. Tradução de Custódia de Carvalho e Melo. Portugal/Porto: Editora Livraria Progredior, 1955. (Coleção Delly) v.51

 

DELLY. Sofrer em silêncio. Tradução de Humberto A. Santos. Portugal/Porto: Editora Livraria Progredior, 1955. (Coleção Delly) v.52

 

DELLY. Os dois crimes de tecla. Tradução de Carlos Valle. Portugal/Porto: Editora Livraria Progredior, 1955. (Coleção Delly) v.53

 

DELLY. O solar das serpentes. Tradução de Maria Teresa Magalhães. Portugal/Porto: Editora Livraria Progredior, 1955. (Coleção Delly) v.54

 

DELLY. Raça dominadora. Tradução de Custódia de Carvalho e Melo. Portugal/Porto: Editora Livraria Progredior, 1956. (Coleção Delly) v.55

 

DELLY. Vitória amarga. Tradução de Custódia de Carvalho e Melo. Portugal/Porto: Editora Livraria Progredior, 1956. (Coleção Delly) v.57

 

DELLY. Rua das três graças. Tradução de Custódia de Carvalho e Melo. Portugal/Porto: Editora Livraria Progredior, 1956. (Coleção Delly) v.59

 

DELLY. A jóia desaparecida. Tradução de M.B. de Almeida Corte-Real. Portugal/Porto: Editora Livraria Progredior, 1957. (Coleção Delly) v.60

 

DELLY. Educação do amor. Tradução de Custódia de Carvalho e Melo. Portugal/Porto: Editora Livraria Progredior, 1957. (Coleção Delly) v.61

 

DELLY. A loba devoradora – I. Tradução de Custódia de Carvalho e Melo. Portugal/Porto: Editora Livraria Progredior, 1957. (Coleção Delly) v.64

 

DELLY. Gwen, princesa do Oriente – II. Tradução de Maria José. Portugal/Porto: Editora Livraria Progredior, 1958. (Coleção Delly) v.69

 

DELLY. A família Malereyne. Tradução de Custódia de Carvalho e Melo. Portugal/Porto: Editora Livraria Progredior, 1958. (Coleção Delly) v.70

 

DELLY. Via proibida. Tradução de Custódia de Carvalho e Melo. Portugal/Porto: Editora Livraria Progredior, 1958. (Coleção Delly) v.71

 

DELLY. A canção da miséria. Tradução de Custódia de Carvalho e Melo. Portugal/Porto: Editora Livraria Progredior, 1958. (Coleção Delly) v.72

 

DELLY. O covil das feras – I. Tradução de Samuel Bastos Oliveira. Portugal/Porto: Editora Livraria Progredior, 1959. (Coleção Delly) v.73

 

DELLY. Reparação – II. Tradução de Samuel Bastos Oliveira. Portugal/Porto: Editora Livraria Progredior, 1959. (Coleção Delly) v.74


"COLEÇÃO MENINA E MOÇA"

Sobre a Coleção: Romances procedentes da famosa Bibliothèque de Suzette, tradicional coleção das moças de França, traduzidos e publicados, no Brasil, nas décadas de 1940, 1950 e 1960, pela Livraria José Olympio Editora. Escritos por diferentes autores, os livros dessa Coleção foram feitos para leitoras mirins (na idade de 06 aos 16 anos) apresentando a vida e a rotina de protagonistas também mirins. São histórias muito bem narradas do ponto de vista estético: linguagem clara, pinturas literárias sem exagero, e enredos que prendem a atenção. Ações leves, algumas em sobressalto, mas divertidas. Novelos fechados discursivamente, respeitando-se a sequência de início, meio e fim, com direito a epílogo. Neles, o “Final Feliz” é prerrogativa número um, seguindo a fórmula encantadora dos contos de fadas tradicionais, nos quais as crianças perdidas voltam para suas casas e vivem felizes para sempre ou as pobres meninas ou moças – desafortunadas da sorte material – encontram um mecenas nobre e rico, apadrinhando-as vida afora. Da Coleção, saltam aos olhos o conteúdo conservador-reacionário que seus autores ditavam as nossas pequenas leitoras: no âmbito dos valores sentimentais, o destaque ficou por conta do amor familiar e aos semelhantes, do amor a Deus e da fé na citada Providência. No que concerne aos princípios morais, o teor de maior difusão se aglutinou na valorização da família, das virtudes e do trabalho. A virtude exaltada nos escritos coroou-se notadamente de manifestações de pureza, bondade, simplicidade e disposição para o exercício do bem. Em torno dos princípios sentimentais e morais de destaque, sobrevieram, ainda, o perdão e a caridade. Os livros dessa "Coleção" contam com pouco mais de 150 páginas de texto cada um, no formato 14,5 x 22,5 cm.

                    Entre os títulos dessa Coleção possuímos em nosso acervo:

BOUCERT, Marguerite. A princesa de neve e Canção de outrora. Tradução de Ana Maria Martins. 3. ed. Rio de Janeiro/São Paulo: Livraria José Olympio Editora, 1954. (Coleção Menina e Moça). v. 21

 

CATALANY, Myriam. A prisioneira do subterrâneo misterioso e O torreão secreto. Tradução de Vicentina de Carvalho. Rio de Janeiro/São Paulo: Livraria José Olympio Editora, 1951. (Coleção Menina e Moça)

 

CHANCEL, Jules. Nanette, a acendedora de lampiões. Tradução de Noêmia de Azevedo. Rio de Janeiro/São Paulo: Livraria José Olympio Editora, 1947. (Coleção Menina e Moça). v.18

 

CYS, Eric de. O segredo das três castelãs. Tradução de Beatriz de Vincenzi. Rio de Janeiro/São Paulo: Livraria José Olympio Editora, 1949. (Coleção Menina e Moça). v.29

 

DONAL, Mario. O quarto misterioso e Congresso de bonecas. Tradução de Rachel de Queiroz. Rio de Janeiro/São Paulo: Livraria José Olympio Editora, 1947. (Coleção Menina e Moça). v.7

 

DUCHÉ, Jacqueline. Os louros fantasmas de Soudrac. Tradução de M. J. Pinto. Rio de Janeiro/São Paulo: Livraria José Olympio Editora, 1947. (Coleção Menina e Moça). v.8

 

DUCHÉ, Jacqueline. Flor dos bosques. Tradução de Wanda Murgel de Castro. Rio de Janeiro/São Paulo: Livraria José Olympio Editora, 1950. (Coleção Menina e Moça). v.34

 

FROMENT, Marguerite. A menina feiticeira. Tradução de Marina R. Lopes. Rio de Janeiro/São Paulo: Livraria José Olympio Editora, 1954. (Coleção Menina e Moça). v.43

 

GIRAUD, H. Mad. As estranhas férias de Sir Jerry. Tradução de Gulnara Lobato de Morais Pereira. Rio de Janeiro/São Paulo: Livraria José Olympio Editora, 1947. (Coleção Menina e Moça). v.6

 

GIRAUD, H. Mad. Sir Jerry detetive. Tradução de Gulnara Lobato de Morais Pereira. Rio de Janeiro/São Paulo: Livraria José Olympio Editora, 1954. (Coleção Menina e Moça). v.1

 

GIRAUD, H. Mad. Sir Jerry na Bretanha. Tradução de Gulnara Lobato de Morais Pereira. Rio de Janeiro/São Paulo: Livraria José Olympio Editora, 1965. (Coleção Menina e Moça). v.7  

 

GOAZEC, Pierre. O jardim das glicínias. Tradução de Ana Maria Martins. Rio de Janeiro/São Paulo: Livraria José Olympio Editora, 1947. (Coleção Menina e Moça). v.3

 

LOISEL, Y. A casa dos cravos brancos. Tradução de Rachel de Queiroz. Rio de Janeiro/São Paulo: Livraria José Olympio Editora, 1947. (Coleção Menina e Moça). v.17

 

NALIM. O caçador furtivo. Tradução de Wanda Murgel de Castro. Rio de Janeiro/São Paulo: Livraria José Olympio Editora, 1949. (Coleção Menina e Moça). v.30

 

NALIM. O mistério de Kerjonc. Tradução de M. J. Pinto. Rio de Janeiro/São Paulo: Livraria José Olympio Editora, 1947. (Coleção Menina e Moça). v.5

 

PERRONET, Mme. Charles. A pequena refugiada. Tradução de Gulnara Lobato de Morais Pereira. Rio de Janeiro/São Paulo: Livraria José Olympio Editora, 1954. (Coleção Menina e Moça)

 

PUJO, M. O pequeno rei de Bengala. Tradução de Lygia Estrada. Rio de Janeiro/São Paulo: Livraria José Olympio Editora, 1948. (Coleção Menina e Moça). v.22

 

RIVIÉRE, Jacqueline. Afilhada das abelhas. Tradução de Branca do Canto e Mello. Rio de Janeiro/São Paulo: Livraria José Olympio Editora, 1948. (Coleção Menina e Moça). v.25

 

ROSMER, Jean. A afilhada do imperador. Tradução de Rachel de Queiroz. Rio de Janeiro/São Paulo: Livraria José Olympio Editora, 1950. (Coleção Menina e Moça). v.31

 

ROSMER, Jean. A princesa e a cigana. Tradução de Valdemar Cavalcanti. 2.ed. Rio de Janeiro/São Paulo: Livraria José Olympio Editora, 1954. (Coleção Menina e Moça)

 

SAILLY, Suzanne. A deusa da tribo. Tradução de Rachel de Queiroz. Rio de Janeiro/São Paulo: Livraria José Olympio Editora, 1950. (Coleção Menina e Moça). v.33

 

SAINT-OGAN, Claude. O exílio de Solange. Tradução de Ana Maria Martins. 2.ed. Rio de Janeiro/São Paulo: Livraria José Olympio Editora, 1950. (Coleção Menina e Moça). v.27

 

SAINT-OGAN, Claude. O segredo do velho Martin. Tradução de T. Nobre. Rio de Janeiro/São Paulo: Livraria José Olympio Editora, 1947. (Coleção Menina e Moça). v.9

 

VALMOR. O mistério do castelo de Morande. Tradução de Valdemar Cavalcanti. Rio de Janeiro/São Paulo: Livraria José Olympio Editora, 1947. (Coleção Menina e Moça). v.12


“COLEÇÃO TERRAMAREAR”

Sobre a Coleção: Na década de 1930 a Companhia Editora Nacional, fundada por Monteiro Lobato, adotou uma política pungente de Coleções para públicos específicos. Assim, ao lado da famosa “Biblioteca das Moças”, outras séries foram instituídas, entre elas a “Coleção Terramarear”. Esta coleção constituiu-se de clássicos da literatura universal (vertidos para o português) dirigida para os meninos, e a juventude em geral. Foi impressa ora no formato 14 x 20 cm ora no pequeno formato de 12 x 18 cm. No verso da capa de alguns volumes impressos há uma epígrafe de Monteiro Lobato com os dizeres: "Dar aos meninos bons livros adequados à idade é o melhor meio de formar homens."

                    Entre os títulos dessa Coleção possuímos em nosso acervo:

ARMANDY, André. Terra de suspeição. Tradução revista por Godofredo Rangel. São Paulo: Companhia Editora Nacional, 1936. (Coleção Terramarear) v.41

 

BURROUGHS, Edgar Rice. Tarzan, o terrível. Tradução de Monteiro Lobato. 5.ed. São Paulo: Companhia Editora Nacional, 1958. (Coleção Terramarear) v.36

 

BURROUGHS, Edgar Rice. O tesouro de Tarzan. Tradução de Manuel Bandeira. 7.ed. São Paulo: Companhia Editora Nacional, 1968. (Coleção Terramarear) v.25

 

COOPER, Fenimore. O corsário vermelho. 3.ed. Tradução de Godofredo Rangel. São Paulo: Companhia Editora Nacional, 1959. (Coleção Terramarear) v.9

 

KINGSTON, W.H.G. Ao longo do Amazonas. Versão de Júlio César da Silva. São Paulo: Companhia Editora Nacional, 1933. (Coleção Terramarear) v.11

 

KINGSTON, W.H.G. Salvos do mar. Tradução de Paulo de Freitas e Moacyr de Abreu. São Paulo: Companhia Editora Nacional, 1946. (Coleção Terramarear) v.45

 

LOBATO, Monteiro. Robin Hood. Adaptação da velha lenda inglesa. 4.ed. São Paulo: Companhia Editora Nacional, 1958. (Coleção Terramarear) v.23

 

LONDON, Jack. Caninos brancos. Tradução de Monteiro Lobato. São Paulo: Companhia Editora Nacional, 1954. (Coleção Terramarear) v.12

 

STEVENSON, Robert Louis. Raptado. Tradução de Agripino Grieco. São Paulo: Companhia Editora Nacional, 1946. (Coleção Terramarear) v.21

 

COLEÇÃO “EDIÇÃO MARAVILHOSA”

Sobre a Coleção: Trata-se de uma quadrinização de romances da literatura estrangeira e brasileira. Surgiu na década de 1950, por iniciativa do jornalista Adolfo Aizen, diretor da Editora Brasil-América (EBAL), com sede no Rio de Janeiro. Nas primeiras 23 edições a editora publicou histórias importadas, mas na edição 24, Adolfo Aizen encomendou ao haitiano André Le Blanc, a adaptação de O Guarani, de José de Alencar, marcando início do aparecimento das obras de autores brasileiros nessa série. Esta Coleção baseada nas revistas americanas Classics Illustraded e Classic Comics imprimiu cerca de 200 títulos no formato revista com a dimensão de 17,5 x 25 cm ou de 18 x 26 cm, e com o número de páginas impressas que variou de 42 a 66 páginas. Tais revistas foram um excelente instrumento para o desenvolvimento da prática de leitura.

                     Entre os títulos dessa Coleção possuímos em nosso acervo:

A tulipa negra, de Alexandre Dumas. Direção de Adolfo Aizen. Ano III - Junho de 1951 - N.36 - 50 pp.

 

O tronco do Ipê, de José de Alencar. Direção de Adolfo Aizen; Adaptação e Desenhos de André Le Blanc. Ano IV - Março de 1952 - N.46 - 42 pp.

 

A moreninha, de Joaquim Manuel de Macedo. Direção de Adolfo Aizen; Desenhos do texto e capa de Gutenberg Monteiro. Julho de 1953 - N.71 - 50 pp.

 

O Monge de Cister, de Alexandre Herculano. Direção de Adolfo Aizen; Desenho de Eduardo Barbosa. Ano: Ano VI - Janeiro de 1954 - N.80 - 50 pp.

 

O Gaúcho, de José de Alencar. Direção de Adolfo Aizen; Desenhos de José Geraldo Barreto Dias. Ano VI - Março de 1954 - N.83 (Extra) - 66 pp.

 

Menino de Engenho, de José Lins do Rego. Direção de Adolfo Aizen; Desenhos de André Le Blanc. Ano VII - Março de 1955 - N.100 - 50 pp.

 

O Garimpeiro, de Bernardo Guimarães. Direção de Adolfo Aizen; Desenhos de José Geraldo. Ano VIII - Fevereiro de 1956 - N.118 - 50 pp.

 

Senhora, de José de Alencar. Direção de Adolfo Aizen; Desenhos de José Geraldo. Ano VIII - Março de 1956 - N.120 - 50 pp.

 

Canaã, de Graça Aranha. Direção de Adolfo Aizen; Desenhos de Gil Coimbra e Nilo Cardoso. Ano VIII - Abril de 1956 - N.122 - 50 pp.

 

O Juiz de Paz da roça e O Judas no sábado de aleluia, de Martins Pena. Direção de Adolfo Aizen; Desenhos de Gil Coimbra. Ano IX - Setembro de 1956 - N.132 (Extra) - 50 pp.

 

Os três mosqueteiros, de Alexandre Dumas. Direção de Adolfo Aizen. Ano X - Janeiro de 1958 - N.1 (2ª edição) - 66 pp.

 

Ivanh, de Sir Walter Scott. Direção de Adolfo Aizen. Ano X - Março de 1958 - N.3 (2ª edição) - 66 pp.

 

Moby Dick, de Herman Melville. Direção de Adolfo Aizen. Ano X - Abril de 1958 - N.4 (2ª edição) - 50 pp.

 

Robin Hood, de Anônimo. Direção de Adolfo Aizen. Ano X - Maio de 1958 - N.5 (2ª edição) - 66 pp.

 

A ilha misteriosa, de Júlio Verne. Direção de Adolfo Aizen. Ano X - Junho de 1958 - N.6 (2ª edição) - 50 pp.

 

A cabana do Pai Tomás, de Harriet Beecher Stowe. Direção de Adolfo Aizen. Ano XI - Novembro de 1958 - N.11 (2ª edição) - 50 pp.

 

O corcunda de Notre Dame, de Victor Hugo. Direção de Adolfo Aizen. Ano XI - Janeiro e Fevereiro de 1959 - N.13 (2ª edição) - 50 pp.

 

Um Ianque na corte do rei Artur, de Mark Twain. Direção de Adolfo Aizen. Ano XII - Julho e Agosto de 1959 - N.16 (2ª edição) - 50 pp.

 

Os Miseráveis, de Victor Hugo. Direção de Adolfo Aizen. Fevereiro de 1967 - N.2 - 50 pp.

 

Sherlock Holmes - em O cão dos Baskervilles, de Conan Doyle. Direção de Adolfo Aizen. Outubro de 1974 - N.3 (6ª série) - 50 pp.

 

Obs.: Paralelamente a publicação da “Coleção Edição Maravilhosa” a EBAL lançou a “Coleção Álbum Gigante” onde igualmente adaptou romances ou obras clássicas em quadrinhos. Desta segunda Coleção temos os seguintes títulos:

Na selva misteriosa. Direção de Adolfo Aizen. Outubro de 1954 – N.68 – 33. pp.

A conspiração de cinqu-mars, de Alfred de Vigny. Direção de Adolfo Aizen. Março de 1956 - N. 17 - 50 pp.


ROMANCE-FOLHETIM

Sobre o Romance-Folhetim: Oriundo da imprensa francesa do século XIX, o romance-folhetim atingiu um extraordinário sucesso de público em vários países, incluindo o Brasil. Em termos técnicos, o “corte” do capítulo e a “sucessividade” na narrativa firmaram-se como os elementos básicos iniciais a serem atendidos para o êxito de um romance-folhetim. Nesta forma de romance, o escritor ganhava por linha escrita, o que o levou a tornar a estória a mais longa possível. O rendimento numérico transformou-se num lugar-comum na escrita do romance-folhetim e, como conseqüência, os escritos dessa natureza apresentavam-se tão “inchados” que no instante da sua transposição para os livros resultaram em coleções de quatro, seis, oito e até doze volumes com páginas quase intermináveis. Os temas, comuns à longa trajetória do gênero, contribuíram para esse “espichamento”. Eram estórias de amores contrariados, paternidades trocadas, filhos bastardos, heranças usurpadas, todas elas seguidas de duelos, raptos, traições, assassinatos e prisões. Núcleos de novelos narrativos geradores de idas e vindas, e de muita tensão, testados e aprovados anteriormente com êxito pelo melodrama, e que neste modo de romance foram acrescidos de um recheio extraído do próprio habitat e dos conflitos da vida doméstica do público consumidor elevando ainda mais sua carga emotiva. Dentre os primeiros autores que se dedicaram com êxito ao romance seriado, atingindo um expressivo sucesso de público, encontram-se Eugène Sue e Alexandre Dumas. O sucesso do primeiro deveu-se à publicação de "Os mistéiros de Paris" (1842-43) e "O judeu errante" (1844-45) e, do segundo, de "Os três mosqueteiros" (1844) e "O conde de Monte Cristo" (1845). Estas obras definiram o perfil de excelência para o romance-folhetim, bem como as duas tipologias específicas do gênero, e que compreenderam a vertente realista, com base nos dramas do cotidiano, e a vertente histórica, evocando o passado e os tempos cavaleirescos, na trilha de Walter Scott.

                    Entre os títulos dessa Coleção possuímos em nosso acervo:

ACHARD, Amédée. Capa e espada. São Paulo: Saraiva, 1956. 2 volumes.

 

DUMAS, Alexandre. O capitão Paulo. São Paulo: Sociedade Impressora Paulista, 1932. (Coleção SIP - Série Econômica)  

 

DUMAS, Alexandre. Napoleão. São Paulo: Empresa Editora Brasileira, 1938. (Nossa Coleção v.3)  

 

DUMAS, Alexandre. O conde de Monte Cristo. Porto/Portugal: Livraria Lello & Irmão Editores [s.d]. 4 volumes.

 

DUMAS, Alexandre. O conde de Monte Cristo. Edição Popular em 2 colunas. São Paulo: Edições e Publicações Brasil, 1943. 2 volumes.

 

DUMAS, Alexandre. O salteador. Tradução de Ondina Ferreira. São Paulo: Saraiva S.A., 1955 (Coleção Saraiva, v.85)  

 

DUMAS, Alexandre. Os três mosqueteiros. São Paulo: Abril Cultural, 1971.

 

DUMAS, Alexandre. Os três mosqueteiros. Tradução de Mário Costa; Adaptação de L.Coquard; Ilustrações de Ambrós. Lisboa: Livraria Bertrnad/Editorial Íbis [s.d.] Adaptação para jovens

 

DUMAS, Alexandre. Os três mosqueteiros. Porto/Portugal: Livraria Lello & Irmão Editores [s.d]. 2 volumes. [Da série os romances de D’Artagnan]


DUMAS, Alexandre. Vinte anos depois. Porto/Portugal: Livraria Lello & Irmão Editores [s.d]. 2 volumes. [Da série os romances de D’Artagnan]


DUMAS, Alexandre. O Visconde de Bragelonne. Porto/Portugal: Livraria Lello & Irmão Editores [s.d]. 7 volumes. [Da série os romances de D’Artagnan]


DUMAS, Alexandre. A rainha Margot. Porto/Portugal: Livraria Lello & Irmão Editores [s.d]. 2 volumes. [Da série os romances Valois]


DUMAS, Alexandre. A dama de Monsoreau. Porto/Portugal: Livraria Lello & Irmão Editores [s.d]. 3 volumes. [Da série os romances Valois]


DUMAS, Alexandre. Os quarenta e cinco. Porto/Portugal: Livraria Lello & Irmão Editores [s.d]. 3 volumes. [Da série os romances Valois]


FÉVAL, Paul. Os mistérios de Londres. Trad. Augusto Souza. São Paulo: Saraiva, [1956]. 2 volumes.

 

HUGO, Victor. Os miseráveis. São Paulo: Companhia Brasil Editora, 1945. 2 volumes.

 

HUGO, Victor. Les miserables. Paris: Hachette, 1950. Tomo I e II. Ilustrado.

 

HUGO, Victor. Os miseráveis. São Paulo: Edigraf, 1962. Tomo I, II e II.  


HUGO, Victor. Os miséráveis. 3.ed. Adaptação de Guiomar R.Rinaldi; Ilustrações de Oswaldo Storni. São Paulo: Melhoramentos [s.d.] Adaptação para jovens 

 

MONTÉPIN, Xavier de. A padeira. Rio de Janeiro: J. Villeneuve, 1885. Tomo I, II e III.  

 

MONTÉPIN, Xavier de. A mulher do realejo. Trad. Luiz da silva. Lisboa/Portugal: Antiga Casa Bertrand, 1901. Ilustrado com 137 gravuras de zier 

 

MONTÉPIN, Xavier de. Os fantoches de Madame Diabo. Rio de Janeiro: Edições Spiker [s.d.]. 6 volumes.  

 

MONTÉPIN, Xavier de. As doidas em Paris. São Paulo: Companhia Brasil Editora, [s.d.]. (O livro traz uma dedicatória datada de 30/07/1945) 

 

OHNET, Georges. O grande industrial. Rio de Janeiro: Civilização Brasileira, 1938. (Edições SIP - Coleções Econômicas)

 

OHNET, George. O grande industrial. Rio de Janeiro: SEDEGRA – Sociedade Editora e Gráfica Ltda [s.d.] (Edições Atlanta)

 

OHNET, Georges. Sergio Panine. São Paulo: Sociedade Editora Paulista, [s.d.] (Edições SIP - Coleção Econômica)

 

OHNET, Georges. Vontade. Trad. Antonio Rocha. Rio de Janeiro; São Paulo: Laemmert e Companhia. (Econômica). [cópia eletrostática]

 

PONSON DU TERRAIL. A bela judia. Trad. Moraes Leal. Lisboa: Tip. Lusitana-Editora de Arthur Brandão, 1900. 4 volumes. Ilustrado.

 

PONSON DU TERRAIL. Rocambole. São Paulo: Companhia Brasil Editora, 1946. 8 volumes.

 

RICHEBOURG, Émile. A toutinegra do moinho. Rio de Janeiro: Edições Spiker, 1956. 2 volumes.

 

SUE, Eugène. O judeu errante. São Paulo: Companhia Brasil Editora, 1944.

 

SUE, Eugène. Le juif errant. Paris: Librairie Arthème Fayard, 1948. (Le Livre Populaire). Volume I 

 

SUE, Eugène. Les mystères de Paris. Paris: Librairie Arthème Fayard, 1950. (Le Livre Populaire). 2 volumes.

 

SUE, Eugène. Os mistérios de Paris. São Paulo: Eli, [s.d.]. 

 

SUE, Eugène. Latréaumont. Rio de Janeiro: Otto Pierre, Editores, 1978. (Os Grandes Romances Históricos)  


ZÉVACO, Michel. Capitan – Romance heróico. Obra publicada por O Romance de Fon-Fon. Revista semanal. Rio de Janeiro: Oficinas de Fon-Fon e Selecta S.A., [s.d.]. Ilustrado. 

 

ZÉVACO, Michel. Flores de Paris – Romance histórico. Obra publicada por O Romance de Fon-Fon. Revista semanal. Rio de Janeiro: Oficinas de Fon-Fon e Selecta S.A., [s.d.]. Ilustrado.


ZÉVACO, Michel. A heroína. Rio de Janeiro: Editora Minerva [s.d.] 3 volumes.  

 

OUTRAS OBRAS RARAS - Prosa e Poesia


ALENCAR, José de. O Guarani. Rio de Janeiro: INL/MEC, 1958.  

 

ALENCAR, José de. Ao correr da pena. 4.ed. São Paulo: Melhoramentos [1955]  


ALMEIDA, Júlia Lopes de. Livro das noivas. 2.ed. Rio de Janeiro: Francisco Alves, 1905.

 

ALMEIDA, Júlia Lopes de. Livro das donas e donzellas. Rio de Janeiro: Francisco Alves, 1906. [cópia]

 

ALMEIDA, Júlia Lopes de. Eles e Elas. Rio de Janeiro: Francisco Alves, 1910. [cópia]

 

ALMEIDA, Júlia Lopes de. Correio da roça. Rio de Janeiro: Francisco Alves, 1913. [cópia]

 

ALMEIDA, Júlia Lopes de. Eles e Elas. 2.ed. Rio de Janeiro: Francisco Alves, 1922.

 

ALMEIDA, Júlia Lopes de. Cruel amor. São Paulo: Saraiva S.A., 1963 (Coleção Saraiva, v.181)

 

ALMEIDA, Manuel Antônio de. Memórias de um sargento de milícias. Brasília: Ed. UnB, 1963.  

 

AMADO, Jorge. O país do carnaval (I). Cacau (II). Suor (III). 4.ed. São Paulo: Livraria Martins Ed., 1955.  

 

ANDRADE, Oswald de. Poesias reunidas. São Paulo: Difusão Européia do Livro, 1966.

 

ASSIS, Machado de. Obra completa. Rio de Janeiro: José Aguilar, 1962. 3 v.

 

AZEVEDO, Aluísio. A mortalha de Alzira. 7.ed. Rio de Janeiro: F. Briguiet & Cia., 1947.

 

AZEVEDO, Aluísio. Demônios. São Paulo: Livraria Martins Editora, 1961.  


BALZAC, Honoré de. Illusões perdidas. Trad. K. D'Avellar. Rio de Janeiro/ Paris: H. Garnier. Tomo I e II. [s.d.]

 

BRAGA, Teófilo. As melhores páginas da literatura portuguesa. Lisboa: Livraria Rodrigues, 1943.

 

CAMÕES, Luís de. Teatro. Organização de José Pereira Tavares. Lisboa: Aillaud & Lellos Ltda. [1928] (Col. Lusitánia)

 

CHAGAS, Manuel Pinheiro. A Virgem Guaraciaba. Crônicas brasileiras, 1. Lisboa: AFRA e Companhia Editores/Imprensa de Souza Neves, 1866. [cópia eletrostática]  

 

CHAGAS, Manuel Pinheiro. A máscara vermelha. Romance histórico original. 3.ed. Lisboa: Empreza da Historia de Portugal, 1902. 

 

CHAGAS, Manuel Pinheiro. O juramento da Duquesa. Romance histórico original. São Paulo: Saraiva, 1959.

 

CUNHA, Euclydes da. Os sertões: campanha de Canudos. 2.ed.(corrigida). Rio de Janeiro: Laemmert & C. Editores, 1903. Ilustrado

 

DAUDET, Alphonse. Tartarin de Tarascon. Buenos Aires: Sopena Argentina, 1940.  

 

DAUDET, Alphonse. Tartarin de Tarascon. 2.ed. São Paulo: Atena, 1957.  

 

ESCRICH, Henrique Perez. O violino do diabo. São Paulo: Empresa Editora Brasileira, 1938. (Nossa Coleção, v.8) 

 

ESCRICH, Henrique Perez. Paixão que ressuscita. São Paulo: Empreza Editora Brasileira, 1939.

 

ESCRICH, Henrique Perez. Os que riem e os que choram. Rio de Janeiro: Civilização Brasileira, 1940.

 

ESCRICH, Henrique Perez. O cura de aldeia. Edição popular em 2 colunas. São Paulo: Edições e Publicação Brasil, [s. d.].

 

ESCRICH, Henrique Perez. O anjo da guarda. São Paulo: Edições e Publicações Brasil, [s.d.].

 

FEUILLET, Octavio. Romance de um moço pobre. São Paulo: Empresa Editora Brasileira, 1939.

 

FRANÇA JÚNIOR. Folhetins. 4.ed. aum. Rio de Janeiro: Jacinto Ribeiro dos Santos Editor, 1926. Crônica

 

FRANÇA JÚNIOR. Política e costumes: folhetins esquecidos. Rio de Janeiro: Civilização Brasileira, 1957. Crônica


[HELME]. Saint Clair das Ilhas, ou Os desterrados na Ilha de Barra. Trad. do francês de Madama (sic) de Montolieu por A. V. de C. e Souza. Lisboa: Tip. Rollandiana, 1827. Tomo I, II e III. [cópia eletrostática do exemplar existente na Biblioteca Nacional/Portugal]

 

JUAN VALERA. Gênio y figura. 1.ed. Buenos Aires-Argentina: Sopena, 1940.

 

LAMARTINE, Affonso de. Regina. Trad. Manoel Pinheiro Chagas. Lisboa: Empresa Lusitania Editora; Rio de Janeiro: Livraria Editora Jacintho Silva, [s.d.].

 

MACEDO, Joaquim Manuel de. A carteira de meu Tio. 4. ed. Rio de Janeiro: B. L. Garnier, 1880.  

 

MACEDO, Joaquim Manuel de. Rosa. Rio de Janeiro: Oficinas Gráficas do Jornal do Brasil, 1931. 3 volumes.

 

MACEDO, Joaquim Manuel de. A luneta mágica. São Paulo: Saraiva S.A., 1960 (Coleção Saraiva, v.151)

 

MACEDO, Joaquim Manuel de. Memórias da rua do Ouvidor. São Paulo: Saraiva, 1963. Crônica


MARTINS PENA. Folhetins. A semana lírica. Rio de Janeiro: MEC/INL, 1965. Crônica

 

MELO NETO, João Cabral de. Morte e vida Seferina. Auto de natal pernambucano. Rio de Janeiro: Sabiá, 1969. Teatro

 

MELLO, Consuelo dos Reis e. A Amazona (Novela). São Paulo: Editora Bartyra, 1957. (Prêmio Prof. Nami Jafet da Editora Bartyra)  

 

MONTEIRO, Julieta de Mello. Oscillantes – Sonetos 1881-1888. Pelotas e Porto Alegre: Echenique & Irmão Editores, 1891/1892.  

 

NERY, Adalgisa. A imaginária. 2 ed. Rio de Janeiro: Livraria José Olympio, 1959.

 

OLIVEIRA, Lola de. Amethystas. 5.ed. São Paulo: Typ. Paulista, 1925. 

 

OLIVEIRA, Lola de. Esmeraldas. 2.ed. São Paulo: Typ. Paulista, 1925. 

 

OLIVEIRA, Lola de. Rubis. São Paulo: Graphica Irmãos Ferraz, [1929].  

 

OLIVEIRA, Lola de. Saphiras. São Paulo: Rossolillo, 1936. [com autógrafo da autora]  

 

OLIVEIRA, Lola de. Minhas viagens ao Norte do Brasil. Rio de Janeiro: Laemmert, 1939.  

 

OLIVEIRA, Lola de. O Infante Dom Henrique. Rio de Janeiro: Laemmert, 1963. [com autógrafo da autora] 

 

QUEIROZ, Eça de. Cartas de Inglaterra. 4.ed. Porto: Livraria Chardron, de Lélo & Irmão, 1919. 

 

QUEIROZ, Eça de. A relíquia. Porto: Livraria Lello Ltda, 1933.

 

RAMOS, Graciliano. São Bernardo. 3.ed. São Paulo: José Olympio, 1947.

 

REGO, Maria do Carmo de Mello. Guido. Rio de Janeiro: Typ. Leuzinger, 1895. [cópia]  


REGO, Maria do Carmo de Mello. Lembranças de Mato Grosso. Rio de Janeiro: Typ. Leuzinger, 1897. 


ROBERT, Clemence. O poeta da rainha. Trad. J. M. de Andrade Ferreira. Lisboa: Tip. do Diário Illustrado, [s.d.]. [cópia eletrostática]

 

SCOTT, Walter. Lúcia de Lammermoor. Tradução livre de Hamilcar de Garcia. São Paulo: Saraiva S.A., 1953 (Coleção Saraiva, v.57)

 

SETÚBAL, Paulo. Confiteor. São Paulo: Companhia Editora Nacional, 1937.  

 

SETÚBAL, Paulo. O ouro de Cuiabá. 6.ed. São Paulo: Saraiva, 1959. Crônica


TAUNAY, Visconde de. Inocência. Rio de Janeiro: Francisco Alves, 1920.

 

VON BRACKEL, Baronesa Ferdinande. A filha do diretor do circo. 11.ed. Petrópolis: Vozes, 1961.  

 

LIVROS RAROS DIVERSOS

ABREU, Modesto de; MOTA FILHO, Cândido; LIMA, Benjamim; CASASSANTA, Mario; e GOMES, Martim. Machado de Assis – Conferências. Rio de Janeiro: F.Briguiet & Cia Editores. Publicação da Federação das Academias de Letras do Brasil (FALB), 1939.

 

AMORA, Antônio Soares. Teoria da literatura. São Paulo: Clássico-Científica, [1956].

 

AYALA, S. Cardoso e SIMON, F. (orgs.). Album graphico do Estado de Matto-Grosso. Corumbá; Hamburgo, 1914.

 

BRITO BROCA. Horas de leitura. Rio de Janeiro: INL/MEC, 1957.

 

CORTESÃO, Jaime. A carta de Pero Vaz de Caminha. Rio de Janeiro: Livros de Portugal Ltda, 1943.

 

GRANGES, CH.M. Des et BOUDOUT, J. Histoire de la littérature française. 44.ed. Paris: Librairie A. Hatier, 1949.

 

HALLEWELL, Laurence. O livro no Brasil: sua história. São Paulo: T. A. Queiroz/EdUSP, 1985.


LIMA SOBRINHO, Barbosa (org.). Os precursores do conto no Brasil. Rio de Janeiro: Civilização Brasileira, 1960.

 

MARTINS, Luís. Homens e livros. São Paulo: Conselho Estadual de Cultura, 1962.

 

MARTINS, Luís. Suplemento Literário. São Paulo: Conselho Estadual de Cultura, 1972.

 

MIRANDA, Francisco Gonçalves. Memória histórica da Imprensa Nacional. Rio de Janeiro: Imprensa Nacional, 1922. (Comemoração do 1º Centenário da Independência do Brasil).

 

OLIVEIRA, Alberto e JOBIM, Jorge. Visconde de Taunay. Rio de Janeiro, Paris: Garnier, 1922.  

 

Orpheu. Reedição do v.I. Lisboa: Ática, 1959.

 

PEIXOTO, Afrânio. Ramo de louro. Novos ensaios de crítica e de história. Rio de Janeiro/São Paulo/Porto Alegre: W.M.Jackson Editores, 1944.

 

QUEIROZ, J. O secretário moderno. Rio de Janeiro: Livraria Quaresma Editora, 1948.

 

SODRÉ, Nelson Werneck. História da imprensa no Brasil. Rio de Janeiro: Civilização Brasileira, 1966.

 

TAUNAY, Visconde de. Dias de guerra e de sertão. 3.ed. ilustrada. São Paulo: Editora Comp. Melhoramentos de São Paulo (Weiszflog Irmãos Incorporadora), 1927.

 

TAUNAY, Visconde de. Goyas. São Paulo: Melhoramentos [1931]

 

VIANNA, Hélio. Contribuição à história da imprensa brasileira (1812-1869). Rio de Janeiro: Imprensa Nacional, 1945.