home_pretratoYasmin Jamil Nadaf é cuiabana, nascida em 22 de maio de 1961. Segunda filha de Layla e Jamil Nadaf, tendo como irmãos Samia e Pedro. Tia de Karime (mãe de Sophia) e Jamil Nadaf de Mello,  e Pedro e Thiago Bojikian Nadaf.

Licenciada em Letras, pela UFMT, Especialista em Literatura Brasileira, pela UFPR, e Mestre e Doutora em Literaturas de Língua Portuguesa, pela Unesp, com Pós-doutorado em Literatura Comparada, pela UFRJ.

Há quatro décadas pesquisa a escrita literária de sua terra, divulgando-a através de palestras, teses, e ensaios publicados em revistas especializadas e jornais do país. Seus livros, Sob o signo de uma flor. Estudo de A Violeta, publicação do Grêmio Literário Júlia Lopes - 1916 a 1950 (1993), Rodapé das miscelâneas. O folhetim nos jornais de Mato Grosso - séculos XIX e XX (2002), Diálogo da escrita. Alagoanos na imprensa de Mato Grosso (2003), Presença de mulher: ensaios (2004), Machado de Assis em Mato Grosso. Textos críticos da primeira metade do século XX (2006), Estudos literários em livros, jornais e revistas (2009), e Páginas do passado. Ensaios de literatura (2014) são referências no Brasil e no estrangeiro.

 

Exposições

 

Veja aqui exposições com acervos de Yasmin Nadaf:


 

Palestra

 

A literatura nos periódicos de Mato Grosso

 


 

Informes - 2017

 


PEDIMOS DESCULPAS AOS NOSSOS LEITORES SE A AGENDA ACHA-SE VAZIA, PORÉM NOS ENCONTRAMOS COM UM PEQUENO PROBLEMA DE SAÚDE QUE NOS LEVOU A DAR UMA PAUSA NAS ATIVIDADES.


ESPERAMOS QUE AS DEMAIS INFORMAÇÕES CONTIDAS NESTE SITE SIGAM DESPERTANDO CURIOSIDADES E SIRVAM DE FONTE DE INFORMAÇÃO AOS AMANTES DA PALAVRA LITERÁRIA

YASMIN NADAF

 

 
curriculum_lattes

Vídeos

videos

Livros Publicados

Jornais

O escritor é um aprendiz. Ele traz em seu ofício diálogos múltiplos (...).

Desde os 15 anos faço críticas literárias. Sou uma leitora de berço. As duas ações – ler e escrever – estão fortemente entrelaçadas. Já nasci com esse olhar. Com uma inquietude particular. Um desejo de me posicionar criticamente frente à realidade que enxergo. Acredito na literatura como objeto de transformação. De aparar diferenças, sejam mínimas ou não, na sociedade. (Yasmin Nadaf)

Construir um acervo bibliográfico não é somente uma demonstração de amor pelos livros e outras fontes escritas, mas também a expressão do exercício diário da cidadania. Ao armazenar a escrita estamos estimulando o processo da leitura, ofertando o entretenimento, disseminando a memória, e preservando o patrimônio cultural de uma região ou de uma nação. (Yasmin Nadaf)

LIVRO É VIDA

(Yasmin Nadaf)